Versão OriginalVersão ClássicaMenu
Da Redação | sexta, 12 de abril de 2019 - 09h56

Sistema de Produção a Pasto é tema de Simpósio na 81ª Expogrande

Para participar do Simpósio o interessado poderá fazer sua inscrição no dia do evento, a partir das 7h e pagar 80 reais
Em sua apresentação a especialista da Embrapa Gado de Corte irá focar no Pantanal onde os solos são arenosos e grande parte sofre alagamento Em sua apresentação a especialista da Embrapa Gado de Corte irá focar no Pantanal onde os solos são arenosos e grande parte sofre alagamento - Foto: Divulgação

A tradicional Feira Agropecuária de Mato Grosso Sul – Expogrande, que acontece de 4 a 14 de abril em Campo Grande (MS), no Parque Laucídio Coelho, abre seus trabalhos nesta sexta-feira, 12, apresentando o Simpósio: “Sistema de Produção a Pasto”. O evento vai acontecer no Tatersal de Elite 2 das 7h às 17h. Estão programadas quatro palestras a serem ministradas por especialistas da Embrapa Gado de Corte e um profissional da empresa de nutrição animal De Heus/MUB. Para participar do Simpósio o interessado poderá fazer sua inscrição no dia do evento, a partir das 7h e pagar 80 reais. Esse valor inclui o almoço e coffee break.

A primeira palestra com início às 8h será da pesquisadora Marta Pereira da Silva que vai levantar aspectos gerais do uso de pastagens cultivadas no MS. Com ajuda de um mapa a especialista vai apontar a situação agropecuária no estado perspectivas para a região do Pantanal, por exemplo, o que temos implantado hoje e o que se pode esperar das novas cultivares. “Decumbens e Marandu são as mais cultivadas no Estado. Tanzânia e Mombaça também são bem utilizadas e as novas que estão sendo introduzidas nas propriedades são a Zuri, Tamani, Quênia, Xaraés, Ypyporã e Paiaguás”, diz a pesquisadora.

Um dos problemas enfrentados pelos produtores diz respeito ao solo. Acertar o pasto exige conhecer o terreno, as limitações do solo e da planta, promover correções quando for o caso, realizar um bom plantio e manejo para garantir um estabelecimento adequado da pastagem e assim garantir sua produção, produtividade e longevidade.  

Em sua apresentação a especialista da Embrapa Gado de Corte irá focar no Pantanal onde os solos são arenosos e grande parte sofre alagamento. Outro destaque de sua apresentação será a demonstração do aplicativo Pasto Certo  em forma de exercício. Trata-se de uma ferramenta para dispositivos móveis que permite o acesso de forma rápida e integrada, às características das principais cultivares de forrageiras tropicais lançadas pela Embrapa e outras de domínio público.
O aplicativo contribui com o produtor na identificação e diferenciação das cultivares e informa as principais recomendações e restrições de cada cultivar. Ele pode ser acessado no site da Embrapa e é gratuito. Com a ferramenta o produtor obtém orientação técnica, de fácil acesso e dinâmica. É uma solução tecnológica desenvolvida pela Embrapa em parceria com outras instituições.

O segundo pesquisador a se apresentar às 10h será José Alexandre Agiova da Costa, que vai explanar a respeito da escolha da forrageira para determinadas condições de solo e clima do Cerrado e Pantanal. Vai discorrer sobre o estabelecimento de uma pastagem, preparo da área e plantio. No geral serão apresentados critérios de escolha das forrageiras, exigência das plantas, sistema de manejo, diversificação de cultivares e gestão do sistema de produção.

Já o zootecnista e difusor de tecnologia também da Embrapa, Haroldo Pires de Queiroz vai falar de Manejo de Pastagem. Um pasto bem manejado não corre risco de degradar. A importância e como deve ser feito o manejo correto das pastagens é a pauta do especialista que vai mostrar uma ferramenta que ajuda muito o produtor  nessa tarefa, que é a Régua de Manejo.

A última apresentação será do especialista Anderson Augusto Di Pietro da empresa De Heus/MUB, cujo tema será Nutrição animal a pasto. As apresentações do Simpósio serão de forma participativa, assim o produtor poderá tirar dúvidas no decorrer das apresentações. Ao final haverá uma mesa redonda. O objetivo é fazer com que os produtores saiam satisfeitos do evento, com suas dúvidas sanadas e que tirem o melhor proveito das apresentações.

Este ano a Embrapa não está com estande na Expogrande o que não significa que a empresa está distante do produtor, muito pelo contrário. A participação da Embrapa está na forma de palestras técnicas como a ocorrida no dia 8, no 17º Simpósio de Ovinos e a de amanhã, sexta-feira, dia 12, quando, a exemplo do ano passado, vários pesquisadores levaram importantes contribuições da instituição para a classe produtora.

Subir ao TopoVoltar
PlataformaSistemas para WebJornalismoVersão OriginalIr para Versão Clássica