Versão OriginalVersão ClássicaMenu
EMERGÊNCIA

Enchentes levam Nioaque a decretar situação de emergência

A meteorologia prevê o quadro de 510 mm de chuva em apenas quatro dias Geliel Oliveira | quarta, 20 de janeiro de 2021 - 08h07
Muitas casas foram alagadas Muitas casas foram alagadas - (Foto: Divulgação/Prefeitura de Nioaque)

O alto volume de chuvas no município de Nioaque, a 144 km de Campo Grande, levou a prefeitura da cidade na tarde de ontem (19), a decretar situação de emergência por conta das enchentes, que já desabrigou 15 pessoas e se encontram alojados na Escola Municipal Guilherme Corrêa da Silva. A meteorologia prevê ainda o quadro assustador de 510 mm de chuva em apenas quatro dias.

Conforme informado pelo levantamento da Defesa Civil, um dos rios da cidade chegou a subir de oito a dez metros, o que levou a ponte que dá acesso ao bairro São Miguel ser interditada por determinação do prefeito Valdir Junior (PSDB).

Para o prefeito a maior preocupação é em relação a área rural da cidade. “Tivemos situações com as famílias ribeirinhas que foram desabrigadas, a secretaria de obras e a secretaria de assistência social estão prestando socorro. No entanto, a área rural nos preocupa muito, temos assentamentos, aldeias indígenas, nossa área rural é bem grande e populosa, o estrago em pontes, bueiros e estradas nos preocupa”, informou.

Junior disse ainda que equipes do Corpo de Bombeiros estão fazendo o levantamento dos estragos causados. Em nota, a Prefeitura de Nioaque informou que as equipes responsáveis estão envolvidas nas ações para levantarem os estragos causados e realizarão planejamento das atividades prioritárias para reparar os danos posteriormente. A previsão é de chuva até o fim da semana.

A Secretaria Municipal de Assistência Social, informa que as famílias atingidas pela enchente devem procurar atendimento na Escola Municipal Guilherme Corrêa da Silva - Extensão Praça dos Heróis para cadastro e atendimento. O horário de atendimento é das 07h às 11h e 13h às 17h.

Veja Também

Mais Lidas

Subir ao Topo Voltar
PlataformaSistemas para WebJornalismoVersão OriginalIr para Versão Clássica