Versão OriginalVersão ClássicaMenu
Aedes

Combate ao Aedes aegypti mobiliza mais de 100 servidores e conta com ajuda de drones

Expectativa é vistoriar 1,5 mil imóveis Michel Grance Faustino | sábado, 21 de novembro de 2020 - 10h51
Dia D mobiliza mais de 100 servidores no combate ao Aedes Dia D mobiliza mais de 100 servidores no combate ao Aedes - ( Foto: CG Notícias )

Lançamento do Dia D de combate ao Aedes aegypti aconteceu na manhã deste sábado no bairro Estrela do Sul. (Foto: Diogo Gonçalves)

Neste sábado (21) acontece o Dia D de combate ao mosquito Aedes aegypti em todo o Estado e em Campo Grande a ação é realizada no bairro Estrela do Sul, região urbana do Segredo. Mais de 100 servidores, entre agentes de endemias e trabalhadores do PROINC, estarão mobilizados no trabalho de orientação e recolhimento de materiais inservíveis, que conta com apoio da Secretaria Estadual de Saúde (SES) e do Corpo de Bombeiros Militar (CBMMS), que disponibilizou efetivo, veículos e equipamentos, como drones, para vistoriar locais de difícil acesso. A expectativa é de ao menos 1,5 mil imóveis sejam vistoriados entre hoje e amanhã (21).

Durante solenidade de abertura do Dia D, que contou com a presença do secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, e da representante do CBMMS, tenente-coronel Geisa,  o secretário municipal de Saúde, José Mauro Filho, destacou que, além de reduzir os focos do mosquito aedes aegypti, o objetivo da mobilização é orientar a população sobre os cuidados para se evitar acúmulo de lixo e resíduos que possam contribuir para formação de criadouros do mosquito, contribuindo assim para reduzir os casos de dengue, zika e chikugunya no município de Campo Grande.

“Não basta o Poder Público fazer a sua parte, é preciso que as pessoas se conscientizem e nos ajude a vencer esse mosquito. Essa é uma guerra de todos nós. Se cada um fizer a sua parte, com certeza sairemos vitoriosos e sem o risco de enfrentar uma nova epidemia de dengue, por exemplo, como aconteceu nos anos anteriores”, disse.

Segundo o coordenador da Coordenadoria de Controle de Endemias Vetoriais do município (CCEV), Vagner Ricardo dos Santos, as ações ficaram prejudicadas por conta da pandemia de Coronavírus (Covid-19), o que limitou o efetivo em campo e também dificultou o acesso aos domicílios, em razão do receio das pessoas por conta da doença, no entanto os trabalhos continuaram, observando todas as regras e medidas necessárias para garantir a segurança do servidor e da população.

“Os agentes estão orientados a questionar o morador se há alguém com sintomas da Covid-19 ou pertencente ao grupo de risco, antes de adentrar à residência. Caso haja essa situação, o agente deve remarcar a visita. O contato também será o mínimo possível, respeitando as medidas de biossegurança e distanciamento de ao menos 1,5 metro”, pondera.

Ao identificar os depósitos, os servidores irão recolhê-los e acionar a equipe, por isso é necessário que a população esteja ciente de que não deve eliminar esses materiais nas ruas de suas casas, uma vez que a retirada só será feita se acionada pela equipe que está trabalhando na ação.  

Ações complementares  

Nos bairros onde há um maior índice de infestação pelo Aedes aegypti a Secretaria Municipal de Saúde ( Sesau ) tem adotado medidas para reduzir o número de criadouros, como é o caso do Bairro  Iracy  Coelho, onde há, durante os próximos dias, o mutirão do “Cidade Limpa”. Na semana que vem as ações serão centralizadas no bairro Tiradentes.  

No próximo mês também iniciará a soltura de mosquitos do Método Wolbachia, da World Mosquito Program/Fiocruz, onde Aedes aegyptis com a bactéria wolbachia passarão a intensificar as ações de combate ao inseto nos bairros Guanandi, Tijuca, Lageado, Centenário, Coophavilla 2, Aero Rancho e Jardim Batistão.  

Dengue em Campo Grande  

A doença mais comum provocada pelo Aedes é a dengue, que teve mais de 19 mil notificações esse ano, sendo que quase 12,5 mil delas foram confirmadas, resultando em sete óbitos desde o início do ano. Em fevereiro, com o crescimento exponencial da doença, a prefeitura iniciou as ações do “Mosquito Zero”, que perdurou até abril, freando o avanço dos casos. Até dezembro será feita mais uma ação como essa, para evitar o alto número de pessoas infectadas já no início do ano que vem.

Medidas de prevenção e combate

Para controlar a proliferação do mosquito é preciso evitar água parada, em qualquer época do ano, mantendo bem tampado tonéis, caixas e barris de água, caixas d’agua; acondicionar pneus em locais cobertos; remover galhos e folhas de calhas; não deixar água acumulada sobre a laje; encher pratinhos de vasos com areia até a borda ou lavá-los uma vez por semana e fazer sempre a manutenção de piscinas.

Além disso, é importante trocar água dos vasos e plantas aquáticas uma vez por semana; colocar lixos em sacos plásticos em lixeiras fechadas; fechar bem os sacos de lixo e não deixar ao alcance de animais; manter garrafas de vidro e latinhas de boca para baixo; tampar ralos; catar sacos plásticos e lixo do quintal, entre outras medidas que impeçam o acúmulo de água e de sujeiras.

Veja Também

Mais Lidas

Subir ao Topo Voltar
PlataformaSistemas para WebJornalismoVersão OriginalIr para Versão Clássica