Versão OriginalVersão ClássicaMenu
AVENTURA

Campo-grandense junta dinheiro em um ano e hoje vive nos Estados Unidos

Com a vontade de conhecer outros países, culturas, gastronomias e monumentos históricos, o jovem que juntou dinheiro por um ano diz não se ver morando novamente no Brasil Brenda Leite | terça, 19 de janeiro de 2021 - 14h20
Willian Ramos é de Campo Grande Willian Ramos é de Campo Grande - (Foto: Arquivo pessoal)

Trabalhando como motorista de aplicativos em Campo Grande, para juntar dinheiro e embarcar em uma aventura fora do Brasil, Willian Ramos, 29, teve parte de seus planos modificados e hoje em dia mora nos Estados Unidos, onde descobriu uma nova vida e passou a colecionar histórias e novas experiências.

Com a vontade de conhecer outros países, culturas, gastronomias e monumentos históricos, o jovem que juntou dinheiro por um ano diz não se ver morando novamente no Brasil.

Tudo começou em 2019, quando Ramos vendeu suas coisas e decidiu ir para San Diego – uma cidade na costa da Califórnia, às margens do Oceano Pacífico, conhecida por suas praias, seus parques e pelo clima quente. Conhecendo apenas um casal de amigos, que já moravam na cidade, o jovem precisou conhecer e aprender sobre o lugar, onde iria começar uma nova vida.

“A ajuda deles foi fundamental! Quando cheguei parecia uma criança, que não sabia de nada, por ser tudo diferente do Brasil, então era tudo novidade”, conta ao Light.

O jovem mora nos Estados Unidos desde 2019

Aprendendo no dia a dia como funcionava a cidade, os costumes, pratos típicos da região, Willian também enfrentou o desafio de morar em um país com uma língua diferente do Brasil. Indo para Califórnia sabendo apenas o verbo ‘To Be’, enfrentou contratempos, ou os famosos ‘perrengues chiques’ — como são chamados os imprevistos em viagens hoje em dia.

“Bem no início, teve um episódio que achei que tivesse conseguido reservar um quarto em Las Vegas, chegando lá descobrimos que, na verdade, a informação é que estava sem vagas. Com essa minha confusão tivemos que dormir no chão do quarto de outros amigos. Saber inglês sempre é bom!”, aconselhou ele.

O jovem ainda contou da oportunidade de fazer amizades com pessoas de vários lugares do mundo, além da grande colônia de brasileiros em San Diego. “Por todo lugar ouvimos alguma conversa em português, eu diria que se torna até difícil para quem quer ir afundo no inglês e na cultura, para atingir a fluência na língua”.

Trabalhando como motorista de aplicativos e em delivery Food, mas agora na Califórnia, Willian ressaltou sobre os conflitos internos enfrentados quando decidiu morar fora do país, como o racismo.

Ele aconselha a quem tiver vontade, de enfrentar o medo e conhecer outros países

“Antes de vir, tinha o medo de sofrer preconceito pela minha cor de pele, contudo, quando cheguei aqui, fui muito bem recebido e respeitado! Acredito que minha escolha de onde morar possa ter refletido nisso também. Moro no litoral e em um estado mais ‘liberal’”, explicou e acrescentou: “Os americanos gostam muito de brasileiros, eles nos veem como um povo alegre e trabalhador”.

O motorista ainda ressalta sobre a facilidade de vida nos Estados Unidos. "Para aqueles que têm o desejo de embarcar na aventura de morar fora do Brasil, é preciso coragem e acreditar em si mesmo acima de qualquer coisa", aconselha.

“É importante ter em mente que, às vezes, não será fácil, mas também não será impossível. É gratificante quando as coisas começam a dar certo, é quando vemos que tudo está valendo a pena. Todo mundo deveria morar fora do País pelo menos por um ano, essas experiências agregam em nossas vidas, seja profissional e até mesmo pessoal”, finaliza.

Quer sugerir uma pauta ou contar sua história para o Light? Mande a sugestão para o nosso e-mail: redacao.acritica@gmail.com, pelo nosso WhatsApp (67) 9 9974-5440 ou pelo direct de nosso Facebook ou Instagram.

Veja Também

Mais Lidas

Subir ao Topo Voltar
PlataformaSistemas para WebJornalismoVersão OriginalIr para Versão Clássica