Versão OriginalVersão ClássicaMenu
RECORDE

Apreensão de drogas e contrabando pelo DOF cresceu 140% neste ano nas fronteiras do Estado

Rosana Siqueira | quarta, 11 de novembro de 2020 - 10h23

O volume de apreensão de drogas e contrabando este ano aumentou 140% em Mato Grosso do Sul. Somente de entorpecentes como a maconha foram 232 toneladas interceptadas pelo Departamento de Operações de Fronteira, diante de 107 toneladas de todo o ano passado, alta de quase 120%, isso sem contar o contrabando. Os dados foram apresentados pelo coronel da Polícia Militar e diretor do DOF, Wagner Ferreira da Silva, que esteve nesta quarta-feira (11) no programa Giro Estadual de Notícias.

Diante do crescimento na apreensão de drogas e mercadorias contrabandeadas neste ano, o DOF iniciou na última segunda (9) uma campanha para ampliar a divulgação do seu número de “Disque Denúncia”. As ligações para o telefone 0800 647 6300 são de forma anônima, de qualquer lugar do Estado e direcionadas ao DOF, com sede em Dourados.

O objetivo da campanha é reforçar a divulgação do “Disque Denúncia”, para que mais pessoas comuniquem fatos que tenham conhecimento, mas que sentem algum tipo de receio de fazê-lo presencialmente. Para tal, o DOF desenvolveu spots para rádios, vídeos para as mídias sociais e banners de vários formatos e conta, com o apoio de todos os veículos de comunicação, para ampla divulgação à sociedade.

O coronel explica que o DOF tem importante papel na segurança das fronteiras que já foi destacado nacionalmente. “O MS se destaca realmente como todo mundo já disse como sendo um corredor do tráfico de drogas pela proximidade de países como Paraguai e Bolívia com as nossas divisas no PR, SP MG . Ou seja isso faz com que se chegue muito rápido ao Paraguai e Bolívia”, destacou.

Por isso ele salienta o DOF exerce um papel importante na fiscalização e monitoramento de diversas vias, principalmente aquelas não convencionais como as estradas rurais. vicinais e dentro de fazendas. “Fazemos este trabalho rural aproximado da comunidade na linha de fronteira. Por isso pedimos para que a sociedade nos ajude. Ela que vê o que acontece em vias que poucas pessoas vêem. Queremos ampliar a participação da sociedade e dar uma melhor resposta no combate aos crimes”, enfatizou o diretor do DOF.

Recorde – O coronel destacou que neste ano a apreensão de cigarros também está próxima de um recorde. “Foram mais de 1 milhão de pacotes mais de 10 milhões de maços apreendidos. Estamos perto de bater recorde no tráfico e contrabando. No caso das drogas é um fenômeno a ser estudado. Nos últimos 10 anos temos verificado que a cada ano aumenta. Mas em 2020 houve um avanço de 140% na apreensão de drogas. Uma alta muito surpreendente”, acrescenta o diretor.

Segundo ele, isso demonstra vários aspectos ligados a pandemia. “Isso pode ser um sinal que houve um aumento no consumo interno do entorpecentes por parte das pessoas diante da pandemia da depressão, e distanciamento. Outro ponto a ser abordado é por conta do coronavírus houve grande oferta de drogas  no Paraguai porque a pandemia e o isolamento atrapalharam a destruição da plantações e a oferta foi maior”, explicou.

Por isso ele conta que o DOF se preparou e  fez o fechamento das fronteiras. “Sabíamos que o fechamento da fronteira poderia levar a uma busca de outras pessoas a ingressar no território nacional por vias não muito comuns. Por isso trabalhamos direto. Não fizemos home tivemos no campo de batalha mais presente do que nunca e tivemos que reforçar a equipe.

Ele destaca que o DOF atuou fortemente nas vias não convencionais. “Estes fenômenos da pandemia, aliado ao nosso trabalho têm levado a grandes apreensões e número surpreendente de drogas. Foram mais de 232 toneladas em 2020 contra 107 toneladas no ano passado”, analisou.

A entrevista completa você confere no player.

Subir ao TopoVoltar
PlataformaSistemas para WebJornalismoVersão OriginalIr para Versão Clássica