Versão OriginalVersão ClássicaMenu
RECONHECIMENTO

Juíza de MS recebe Prêmio Mulheres Brasileiras que Fazem a Diferença 2020

Rosana Siqueira | quinta, 26 de novembro de 2020 - 09h10

A  juíza sul-mato-grossense Jacqueline Machado, titular da 3ª Vara de Violência Doméstica de Campo Grande, foi uma das oito vencedoras nacionais do prêmio "Mulheres Brasileiras que Fazem a Diferença 2020", promovido pela Embaixada e os Consulados dos EUA no Brasil. A premiação foi anunciada na terça-feira (24) e homenageia mulheres brasileiras que impactaram positivamente em suas comunidades, servindo como inspiração para outros cidadãos. A juíza foi a entrevistada de hoje (26) no Programa Giro Estadual de Notícias, do Grupo Feitosa de Comunicação.

Jacqueline Machado é uma das principais ativistas do Brasil na proteção de mulheres vítimas de violência doméstica e foi a força motriz por trás da criação da Casa da Mulher Brasileira em Campo Grande, o primeiro centro de parada única do país que auxilia sobreviventes de violência doméstica. É lá que funciona a 3ª Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, que foi a primeira vara do país a atuar especificamente na análise de medidas protetivas.

A magistrada falou sobre o prêmio e disse que “não trabalhamos por reconhecimento, mas pela proteção e dignidade das mulheres vítimas de violência doméstica e familiar. Também pela garantia dos direitos daqueles que são acusados. Mas, quando esse trabalho é visualizado por instituições de fora do Judiciário, temos a certeza que estamos no caminho certo e que o esforço diário está surtindo efeito. Para mim, atuar como magistrada nessa área é vocação e receber esse prêmio é uma honra”.

A juíza esteve à frente da Coordenadoria da Mulher do TJMS desenvolvendo ações pioneiras no combate à violência contra as mulheres no Estado por meio de projetos como o "Mãos EmPENHADAS contra a Violência", que ensina esteticistas e manicures a identificar sinais de violência de gênero e direciona clientes para a rede de apoio. Atualmente, é presidente do Fórum Nacional de Juízes de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher (Fonavid).

Ela também é apoiadora do “Florescer”, uma unidade móvel que se comunica com as mulheres rurais para conscientizá-las sobre os direitos da mulher. A magistrada falou na Conferência das Nações Unidas sobre Comunicação, Saúde e Direitos da Mulher em Campo Grande e Dourados, em 2019. A magistrada participa com frequência em programas de rádio e TV em Mato Grosso do Sul sobre seus projetos de prevenção da violência de gênero.

A entrevista completa você confere no player.

Subir ao TopoVoltar
PlataformaSistemas para WebJornalismoVersão OriginalIr para Versão Clássica